Sala Futuro Palestras
14h
BOAS VINDAS!
What are you bringing?
14h20
JAMES J. HUGHES
Institute for Ethics and Emerging Tech
Lutando Por Igualdade Com Tecnologias Emergentes
14h40
ANDRE CARVALHAL
AHLMA
O Fim é o Começo
15h
IANE CABRAL
Setor W Lab
Resiliência Wearable
15h20
CLELIO DE PAULA
WeSense | Tech & Art
Mesclando Mundos: Arte, Herança Cultural e Hologramas
15h40
RAMON KNOESTER
Recycled Island Foundation
Recycled Island
16h BREAK
16h10
SASKIA KLUIT
Fietsersbond
Ciclismo como Transformação Urbana
16h30
NAGIB NASSIF
BOLHA
Convergência e Transformação
16h50
PRISCILA GUEDES
Anableps XR Technologies & Content
Inovações e tecnologias que vão mudar a indústria do cinema
17h10
JORGE BAKKER
Artist
Humanos e seus arredores
17h30
BIA MARTINS
Em Rede
Tecnologias livres para um futuro em nossas mãos
17h50 BREAK
18h
PICNIC COLLISIONS
GEORGE DVORSKY + BIA MARTINS
18h20
LUIS FELIPE
UFRJ/RHMS
O Futuro do Governo
18h40
RENAN PORTO
PPGD-UERJ
A Infecção Alienígena nos Hologramas do Real
19h
RITA WU
Distopias do Ser [Humano]
19h20
DAVID PEARCE
The Neuroethics Foundation
Superinteligência, superlongevidade e superfelicidade.
labs
14h30
CLARISSA BIOLCHINI E RODRIGO WESTIN
Archipelago
Tecnologia para gerar empatia
16h30
LUISA FOSCO
Fabulosa
CTRL+S - fabricação digital
18h30
CLELIO DE PAULA
WeSense | Tech & Art
Diorama: realidade mista com Microsoft Hololens
Inscreva-se
Sala Futuro Palestras
14h
DR. NATASHA VITA-MORE
Humanity+, Inc.
O que significa ser humano e o que nos tornaremos?
14h20
VICTOR VICENTE
ITS Rio
Realidade: uma narrativa em disputa
14h40
SILVANA BAHIA
Olabi
Por Mais Diversidade na Tecnologia
15h
JOÃO BONELLI
PUC-Rio
Laboratório LIFE: programação criativa e o ensino prático-experimental de tecnologia para designers
15h20
CHARLES SCHWEITZER
Leroy Merlin
Cultura de Inovação nas Empresas
15h40
LULI  RADFAHRER
Escola de Comunicações e Artes da USP
A relação homem-máquina na era do biohacking
16h BREAK
16h10
PICNIC COLLISIONS
DAVID PEARCE E LULI RADFAHRER
16h30
GIANE BROCCO
Amazu Biomimicry - Biomimicry Brasil
Biomimética
16h50
LUIZ ALBERTO OLIVEIRA
Museu do Amanhã
Tecnologias Exponenciais e seu Significado
17h10
JORGE LOPES
PUC Rio e INT
Experimentação em Arte, Design, Ciência e Tecnologia
17h30
LUCIANO MEIRA
UFPE / Joy Street
Tecnologias Lúdicas de Aprendizagem para Transformação Cultural
17h50 BREAK
18h
NÉLIO SANTOS
Filósofo
Transumanismo e o Legado Histórico da Condição Humana
18h20
DR.DANIEL ROURKE
Artist
“The Future Won't Get Weird On Its Own!"
18h40
GEORGE DVORSKY
Gizmodo Media Group
Creative Expression and Experience in the Age of Human Enhancement
labs
14h
NAGIB NASSIF
BOLHA
Atividade prática sobre o mundo em mutação através de relatos da convergência entre o físico e o digital.
16h
IANE CABRAL  E RAFAEL AREVALO
Setor W Lab
Pulse Data - experiência sensorial através de bio parâmetros cardíacos e reconhecimento facial com tradução luminosa de emoções através de Inteligência Artificial
18h
DUDA VALLE
Lab Cimática
Tornando Visível o Invisível
Inscreva-se

Humanidades, Tecnologias e Distopias

O ser humano e a tecnologia são indissociáveis e é justamente esse fato que faz dele um ser vivo singular e original no múltiplo reino dos seres vivos. Até a revolução industrial, no começo do século XIX, vivemos em um meio social e técnico em que as rupturas tecnológicas eram muito distanciadas. A partir de então, o intervalo entre essas rupturas torna-se progressivamente mais curto, de maneira que passamos a um estado de inovação permanente e cada vez mais acelerado.

Muitos afirmam que essa sociedade dos meios informacionais em que estamos inseridos guarda o potencial para aprofundar a democracia e a qualidade de vida no planeta. Uma sociedade onde a inteligência artificial promete nos dar respostas para problemas tão complexos como o aquecimento global ou a produção de alimentos de forma sustentável e eficiente. Uma sociedade em que o desenvolvimento vertiginoso da biotecnologia poderá ser capaz de trazer a cura para a maioria das doenças e quem sabe permitir que possamos viver para sempre.

Se podemos dizer que a tecnologia tende a transformar a si mesma continuamente, com uma dinâmica própria e de forma cada vez mais acelerada, isso implica que poderá haver uma separação cada vez maior entre a tecnologia e a cultura no seu sentido mais amplo. O que podemos fazer frente a essa situação? É necessário expandir a nossa imaginação coletiva para além dos limites impostos por todas as formas de organização políticas, econômicas e sociais vigentes. Também estabelecer, nessa transformação do pensamento, um novo contrato social. Nossa tarefa agora é inventar o que vem depois.

Não estamos diante de um paradigma da tecnologia, estamos diante de um paradigma sobre nossa humanidade e tudo isso indica que a tarefa que temos pela frente é muito mais desafiante do que poderíamos imaginar. A segunda edição do PICNIC BRASIL propõe uma série de palestras que abordarão temas como: transumanismo, singularidade, inteligência artificial, antropoceno, utopias, distopias, realidade virtual, economia e negócios. Além disso teremos laboratórios e o hackers camp, em que os participantes terão a oportunidade de criar soluções para problemas reais.

Humanities Technologies and Dystopias

Human being and technology are inseparable and this fact is precisely what makes us humans a unique and original living being, in the multiple realm of living beings. Until the industrial revolution, at the beginning of the 19th century, we lived in a social and technical environment in which the technological ruptures were very distanced. From then on, the interval between these ruptures becomes progressively shorter, so that we pass into a state of permanent and ever-faster innovation.

Many people claim that, this society of informational means, holds the potential to deepen democracy and the quality of life on the planet. A society where artificial intelligence promises to give us answers to complex problems such as global warming or food production in a sustainable and efficient way. A society in which the dizzying development of biotechnology may be able to bring healing to most diseases and, who knows, make eternal life a reality.

If we can say that technology tends to transform itself continuously, with its own dynamics and in an increasingly accelerated way, this implies that there may be an increasing separation between technology and culture in its broadest sense. What can we do about this situation? It is necessary to expand our collective imagination beyond the limits imposed by all current forms of political, economic and social organization. Also establish, in this transformation of thinking, a new social agreement. Our task now is to invent what comes next.

We are not facing a paradigm of technology, we are facing a paradigm about our humanity, and all of this indicates that, the task ahead is much more challenging than we could imagine. The second edition of PICNIC BRASIL proposes a series of lectures that will cover topics such as: transhumanism, singularity, artificial intelligence, anthropocene, utopias, dystopias, virtual reality, economy and business. In addition we will have laboratories and the hackers camp, where participants will have the opportunity to create solutions to real problems.